Fomos para fora cá dentro: Monte da Estrela

Eu sou uma pessoa que rege a sua vida pela aplicação “Meterologia” do iPhone por isso, quando vi que iam estar quatro dias de muito calor em pleno Outubro e que havia um feriado pelo meio, pus-me imediatamente em campo, em busca de um sítio para fugir e aproveitar aquilo que eu achava ser o último fim-de-semana de “verão”. Pedi ajuda às Heranças do Alentejo, uma associação sem fins lucrativos que reune uma enorme oferta da alojamento, experiências, actividades e restaurantes um pouco por todo o Alentejo. É só pesquisar no site e encontramos uma data de sugestões, para os mais variados estilos: escapadinhas, fins-de-semana a dois, aventura, família, praia, campo, há de tudo.
Aceitei a sugestão das Heranças e foi assim que fui parar ao Monte da Estrela Country House and SPA, um espaço de agroturismo, algures entre Moura e Mourão, em pleno coração do Alentejo. Perdido entre uma imensidão de vinhas e oliveiras, o Monte da Estrela é uma casa linda e onde o silêncio é absolutamente impressionante. Foram quatro dias assim, no meio de silêncio, praticamente sem rede e se net no telemóvel. Maravilha.
O Monte pertence a uma família que excede todos os níveis de simpatia e hospitalidade. Era impossível

fazer com que nos sentíssemos mais em casa. Vê-se que têm orgulho no projecto que construíram e têm todos os motivos para isso. O espaço é mesmo muito bonito, acolhedor, tranquilo. Não levei relógio e não lhe senti a falta. É perfeito para descansar e para desligar do resto do mundo. Aproveitámos o bom tempo para piscinar, para ler, para brincar com o Mateus (que, talvez influenciado pelo ambiente, se portou excepcionalmente bem), para fazer uma massagem no spa e para passear pela zona.

O Monte só tem seis quartos, por isso, à partida, o sossego é garantido. Haver poucas pessoas também dá para criar um ambiente mais “caseiro”, partilhar provas de vinhos com os outros hóspedes, jantar no alpendre com musiquinha boa a tocar, ficar a balouçar numa rede, fazer uma visita às cabrinhas Estrelinha e Guadalupe, ou olhar para um céu cheio de estrelas num terraço pensado para o efeito. Tivemos um bocadinho de “azar”, apanhámos noites de lua cheia, mas o Monte da Estrela fica em plena reserva Dark Sky Alqueva, a primeira do mundo a receber um selo de qualidade que garante as características únicas do céu nocturno.
Para quem não conseguir ficar parado muito tempo, o Monte da Estrela tem uma data de parceiros que fornecem as mais variadas actividades: passeios de barco, de balão, workshops, observação de aves, desportos náuticos, caças ao tesouro, caminhadas, etc. Num dos dos dias decidimos fazer um passeio de barco pelo lago Alqueva, com a AlquevaTours, e foi muito, muito giro. Tivemos a sorte de nos calhar um guia incrível, o Sr. Nixon, um apaixonado pela zona que teve a simpatia de nos contar uma data de histórias.
Gostei muito de estar no Monte com calor, mas acho que no Inverno também deve ter o seu encanto. Deve ser muito bom estar ali à volta da lareira, com um livro, no quentinho. Ficou prometida uma nova visita quando este verão interminável acabar, e vai ser uma promessa para cumprir. Gostámos tanto, tanto que demos por nós a pensar “e se largássemos tudo e viéssemos morar para o Alentejo?”. Enquanto isso não acontece, temos sempre o Monte da Estrela para fugir de vez em quando.
Deixo-vos mais algumas fotos, para verem como é lindooooo!